Carregando Post...

Humor1

Aviso: 

Os maçons também tem um bom senso de humor... Mas as piadas só podem ser entendidas por irmãos.

 

MUDANÇA DE LÂMPADA

Q: Quantos maçons se necessitam para trocar uma lâmpada? 
R: Não se pode dizer. É segredo!


Quantos maçons são necessários para mudar uma lâmpada? 

São necessários 21:

2 para queixar-se que o foco não funciona. 
1 para passar o problema a uma comissão, o Conselho ou ao Venerável Mestre.

3 para estudar a luz na Loja. 

2 para avaliar o tipo de luz utilizada pelo outro rito. 
3 para questionar isso.

5 para planejar um jantar de comemoração da mudança da lâmpada.

1 para emprestar uma escada, doar o foco e instalar. 
1 para ordenar uma praca recordatoria e fazer colocar. 
2 para reclamar de que “esta não é a forma de antes.” 
1 para dizer que o novo foco é irregular.


TRIÂNGULO PARA UM FOCO

Quantos maçons são obrigados para mudar uma lâmpada?

Três: 
Um para parafusar; 

Um segundo para ler uma Prancha sobre o mérito da anterior lâmpada;

Um terceiro para se queixar de que essa não é a forma de parafusar uma lâmpada no Rito Escocês Antigo e Aceito.


CRIANÇA CURIOSA

Em um funeral de um conhecido Maçom, que foi realizado no cemitério, o Cerimonial de Honras Fúnebres Maçônicas, todos os participantes eram maçons com Aventais decorados com luto do  3 º Grau.

Entretanto, uma criança de 8 anos, se recusou a deixar o local como queria sua mãe, chamando a atenção de todos. 
Gritadas, com ênfase:

- “Mãe!” Deixa-me! Não vê que está indo para enterrar um pirata. ”



PRINCIPIO CRIADOR

Em uma Loja se iniciada um novo Maçom. 
O Venerável Mestre indica ao 2º Diácono indagar sobre se o candidato acreditava em um Princípio Criador, ao qual ele respondeu após suas missões:

-Venerável Mestre, o candidato diz que não acredita.

Volvei a perguntar – Querido Irmão Experto. Insistiu o Venerável Mestre.

- (Após entrar e sair) Venerável Mestre, diz que não acredita.

- Querido Irmão 2º Diácono (abrindo os olhos), por favor, pergunta bem.

- (Depois de re-entradas e saídas) Venerável Mestre, o candidato diz definitivamente que não acredita.

Em seguida, o Venerável Mestre chama ao Diácono ao seu lado e, em seguida explica a situação ao ouvido, a quantidade e qualidade dos convidados e os preparativos para a mastigação, pede-lhe para resolver o problema da melhor forma possível.

O Experto sai novamente uma e outra vez, ao tempo orgulhoso volta e anunciou em voz alta:

- Venerável Mestre, o candidato já acredita!


QUEM VAI!

Aconteceu no início uma cerimônia de Iniciação, na qual se iniciava um sobrinho do 2º Vig.'. da Loja:

2º Vig.'. –Quem vem ai! 

Candidato: – Sou eu Tio!

 


GADU

Este foi um Maçom que gostava medalhas e vestido com grande pompa, com avental e colares coloridos vistosos, botões relativos aos Graus e Ritos, medalhas Maçônicas recebidas ao longo de sua vida maçônica, onde fundou varias Lojas, etc.

Numa ocasião, após uma longa ausência, ele visitou uma Loja na sua cidade, com tão má sorte que chegou após o início dos trabalhos. Bateu com a bateria do primeiro grau, e ao sair o Oficial (um muito jovem Maçom que não o conhecia), para ver quem estava tocando, ele ficou impressionado com o majestoso vestuário.

Ao voltar, para notificar a chegada de um irmão importante, anunciou muito vaidoso:

Venerável Mestre e Queridos Irmãos todos, no pórtico do Templo se encontra um Querido Irmão Maçom que a julgar pelos paramentos que traz deve ser o Grande Arquiteto do Universo.


PONTO DE VISTA

A esposa de um maçom ao momento de vê-lo sair para seu Aumento de Salário:

-Você diz que você está indo para a Loja para um Aumento Salário, mas vendo o que você gastou, acho que está indo para uma diminuição do Salário.



CARIDADE

Um carteiro, em seu caminho, apanhou uma carta dirigida a Deus. Vendo que ela estava fechada e não tinha selo, abri-la e lê-la.

Era um homem que estava tendo um tempo difícil e pediu a Deus por ajuda. A carta pedia US$ 5.000 para a família de ele passar a semana. O carteiro, que era um maçom, aproveitou a carta e levou para a Loja naquela noite, leia-o e pediu doações.

Os maçons, querendo ajudar, fizeram uma recolha e recolhido US$ 2500. O secretário colocou o dinheiro em um envelope da Loja e deu-a ao carteiro que envio no dia seguinte.

Passou um par de dias, o carteiro novamente encontrou um envelope sem fechar na caixa de correio endereçado a Deus. Mais uma vez, abriu o envelope para ler a carta, que agradecia a Deus pelo dinheiro, mas pediu que a próxima vez fizesse o envio por outra empresa de correios, porque os maçons tinham ficado com metade do pedido.



FRATERNIDADE

Um médico e um encanador na mesma Loja. 
No domingo de manhã, o médico acordou com banheiro entupido, então chama o encanador, que lhe disse: ‘mas eu não trabalho aos domingos. Não pôde esperar até amanhã? “

O médico disse: “Também não gosto de trabalhar aos domingos, mas se você esta em apuros e se sinta mal, irmão, eu acudiria para ajudar.

“ OK”, disse o encanador veio e onde o médico imediatamente, uma vez que eles foram ao banheiro; tirou duas aspirinas de seu bolso e jogou-as no vaso sanitário.

“Já esta, disse ele, se não melhorar chama-me de novo amanhã que acudirei imediatamente.”



SIGILO

Um homem estava caminhando através do parque em sua área quando percebeu que no estádio tinha uma furiosa briga.

- O que está acontecendo? Pergunta a um espectador que estava assistindo.

É um jogo entre duas Lojas.

-Ahh… disse o homem. E como está o placar?

Eu não sei, disse o outro é um segredo que os jogadores juraram guardar.



ESTUDO

Um velho Maçom, em sua casa enquanto visitava um irmão recém-iniciado, a esposa levou-o para um lado e lhe disse que seu marido havia começado a agir de uma forma que é estranho desde a adesão à Ordem.

«Se trancada no banheiro por horas e termina murmurando com o seu livro azul” foi a explicação.

Quando noite caiu, na Loja lhe perguntou como tudo correu. “Ah, bem,” ele respondeu.

Em seguida perguntou sobre seu comportamento e se houve alguma coisa com que se preocupar. ‘Não' respondeu ele. Então, por que ler o livro azul? “É o único espaço que tenho com piso de mosaicos para andar. ‘Respondeu.



AS PORTAS DO CÉU

Um velho Maçom, homem cansado, cujo cabelo estava branco, chegou às portas do céu um dia.

Quando perguntado o que fez na terra. Respondeu que o seu papel era o de oferecer os brindes da Loja a que pertencia.

São Pedro disse-lhe então. Enquanto chacoalhava o sino “passa e entra, Irmão, você está muito cansado do inferno…”



PARAMENTOS

João e Miguel dois Maçons, dos que gostam de ter seus próprios paramentos e não depender dos de sua Loja. Em uma ocasião, quando ao colocar para os trabalhos de sua Loja, saiu da caixa de João, um par de meias de seda femininas.

Miguel surpreso observou:

-Pergunto-lhe, João, o que fazem essas coisas aqui…

João teve um olhar e sussurrou:

Lembre-se dos trabalhos no ano passado? Miguel sim e João continuou: “Não diga a ninguém, mas eu parei de ir para casa em um bar onde eu conheci uma bela moça.

Parece que ela esqueceu suas meias no carro e minha mulher as encontrou. Disse-lhe que era porque eu tinha sido Elevado a um grau Superior na Maçonaria, e desde então ela sempre as guarda na minha casa junto com minhas luvas.



NO CÉU

Dizem que um maçom, Mestre de sua Loja, chegou ao céu e se reuniu com São Pedro, a quem ele o identificou como um membro da Ordem.

Ele perguntou:

- De que Loja?

Orgulhosamente, ele respondeu: “OBREIROS DE IRAJÁ Nº: 1068?. 
São Pedro, em seguida, o levou para a Sala dos Relógios maçônicos.

O Mestre, atordoado, olhou ao redor.

A sala estava cheia de relógios, cada um com o nome de uma Loja em uma placa de prata. O estranho é que cada um deles dava horas diferente. Perguntou, então, por que, e São Pedro informou a ele que as agulhas de cada relógio são movidas apenas quando alguém do Loja cometia um erro no ritual.

O Mestre perguntou, então, onde estava o relógio de sua Loja, para o que São Pedro respondeu:

Ah… Esta na cozinha.

- Na cozinha? Por quê?

Porque o usamos de ventilador



OS TRABALHOS

Morre um Irmão e quando chegou ao Oriente Eterno na porta, era último da fila, o porteiro lhe perguntou:

- Qual a religião profetizaste em vida? 

Batista, lhe respondeu, passa pelo portão 1

Passou o segundo, a mesma pergunta:

- Judeu, ele respondeu, passe pela porta 5

Passou ao terceiro, e a mesma pergunta:

- Católico, ele respondeu, vá até a porta 666

Foi a vez o Irmão, e perguntou-lhe a mesma coisa: 
Ele respondeu: Não posso lhe responder qual a minha religião, eu sou Maçom, PASSE IRMÃO JÁ ESTA A PARA COMENÇAREM OS TRABALHOS!!!



OS MAÇONS

Umas pessoas queriam espiar aos maçons e introduziu uma câmera espia e uns microfones no interior do Templo.

Eles disseram: agora saberemos os mistérios inerentes à maçonaria.

Dias depois de uma extensa espionagem concluiu o relatório: 
1.- Os maçons não têm a idade que diz que eles têm. 
2.- Os maçons sempre estão errado quando lhes perguntam que horas são.

3.- Os maçons dizem que estão indo para o trabalho e nunca trabalham na Loja.

Conclusão: “Os maçons são todos loucos.”

E neguem!



INICIAÇÃO

“Aconteceu na Sala dos Passos Perdidos.

Um profano que tinha sido convidado para ser iniciado maçom. Foi que á chegada á Loja, choveu muito, no estacionamento estava completamente alagado, o nosso amigo para sair do seu carro, se arregaçou as calças até o joelho, e entrou no átrio da Loja, muito nervoso não teve conhecimento da estranha situação de sua calça, depois de um tempo, um homem o aborda e diz passe por aqui, que vamos a iniciar, mais, por favor, desça as calças – nosso amigo a iniciar-se alarmado e demasiado  nervoso ele diz no pensamento -  tudo menos isto de que para me iniciar tenha que abaixar as calças!


O SOTAQUE DO IRMÃO LIBANÊS

O irmão Muhamad foi escolhido para Mestre de Cerimônias. Sua atuação foi curtíssima, talvez uns dois minutos. A loja estava lotada, pronta para começar os trabalhos de uma Sessão Magna de Iniciação.

Muhamad tomou o bastão, foi para entre colunas, estufou o peito e proclamou:

- “Venerável Mestre, da Augusta e Resbeitável Loja Bartidários da Esberança acha-se combosta e aguarda vossas ordens!”



QUE ESTRANHA SAUDAÇÃO!

O irmão Valter, que sucedeu a Muhamad, teve mais sorte. Exerceu o Mestrado de Cerimônias por quase uma sessão inteira. Ele tinha um horrível cacoete: piscava ambos os olhos, várias vezes seguidas e com bastante força. Era um excelente ritualista e deu um “show” na prática.

Depois de transcorridos todos os procedimentos, Valter levou os neófitos para a Sala dos Passos Perdidos, para recompô-los e ministrar-lhes os ensinamentos de como adentrar ao Templo.

Aberta a porta, os três novos Aprendizes marcharam corretamente, saudaram ritualisticamente e as Luzes receberam piscadelas de montão, de todos eles.

 


O ENGANO

Após a sessão de iniciação dos irmãos Alexandre e Rogerio, o ágape estava tão festivo que durou até bem tarde da noite. Por isso, Xandi, assim apelidado pela sua mãe, quando chegou em casa o relógio marcava duas horas da madrugada. 
Numa espécie de código, quando Xandi queria dormir até mais tarde, deixava um bilhete para a sua querida Mãe.

E foi o que fez antes de ir se deitar.

Colocou-o no criado-mudo, junto com o embrulho que deviria conter um par de luvas, que o Venerável Mestre lhe entregara, com a recomendação de que deveria oferecer àquela que mais estima.

Aconteceu, entretanto, que o irmão Arquiteto, encarregado de adquirir todos os itens para a sessão, foi às pressas para o bazar de armarinhos, e a moça encarregada do pacote confundiu-se, e entregou um embrulho contendo uma calcinha, ao invés de um par de luvas.

O pacote estava tão bonitinho que ninguém ousou abri-lo. 
E assim estava escrito o bilhete do Xandi:

“Querida mãe: Passei por um cerimonial maravilhoso. Todos os irmãos são muito legais.

Até pediram que lhe entregasse este presente. Eles sabem que você, assim como a maioria das mulheres, não tem mais o costume de usar, mas é um hábito antigo de assim presentear. Se não for do seu tamanho, não liga não. Será ainda melhor: os dedos ficarão mais à vontade. Beijos do seu Xandi”.



SERENIDADE

Em uma ocasião, depois de uma elegante Iniciação que se prolongou até a meia noite, um Irmão Maçom, vestido com smoking caminho solo e despreocupado ao local onde estava estacionado seu carro. Ao passar pela porta do cemitério, um assaltante saiu de pronto de uns arbustos com uma faca na mão e pergunto e ameaçante:

-¿a você não dá medo passar por aqui a estas horas?

A resposta serena do Maçom no se fez esperar: 
- A verdade é que quando estava vivo sim tinha medo.



O TELHADOR

O Telhador: ¿É você um Maçom Regular?

O Irmão visitante:

Não, Irmão!!!

Os Maçons Regulares são outros.

Eu sou dos bons.



SUSTO

Faz alguns anos, em uma Iniciação de dois candidatos, um Maçom brincalião lança dentro de um poço de água uma grande pedra gritando:

- Irmão, eu já joguei o meu, agora e o teu.

- Naturalmente, os dois candidatos apanharam suas coisas e não voltaram até hoje.



CÚMULO

Qual é o cumulo de um Irmão Maçom? 

R= Que sua mulher ande nos Passos Perdidos

 


BÊBADO

Um homem anda pela rua, muito tarde na noite e muito bêbado.

Um policial o pára e pergunta-lhe se a onde vai nestas condições. 
O bêbado responde:

Oficial, eshtouu indo a uma shaaasrla que acontece na Mashoonería e a sua importância para a família…

O polícia então pergunta:

Bem, mas quem pode interessar uma palestra semelhante a esta hora da noite? 

- A minha mulher… quando scheegue em cashaaa!…



DEMOCRACIA

Um irmão de uma Loja é hospitalizado. Uma Comissão reúne na Loja para discutir a questão e concordou em enviar uma carta ao irmão, ao hospital, melhoras em breve.

O secretário, um irmão muito consciencioso, escreve a seguinte nota:

“A Comissão decidiu manifestar-te, querido irmão, seus sinceros desejos de uma rápida e completa melhora.

“Seis votos favoráveis, três contra e uma abstenção.”



GENTE

Uma Loja trabalhando em um quarto de hotel, devido à falta de um local para seu templo.

Uma noite, um viajante que estava hospedado no hotel perguntou ao funcionário, sobre os senhores que lá estavam tão calmamente recolhidos naquela sala.

O empregado respondeu: 

Ah, esses são os maçons.

O viajante disse:

- Ah, eu sempre quis entrar para a maçonaria. Será que me aceitam?

- “Eu não penso assim”, disse o funcionário. Eles são demasiado exclusivos.

Você pode ver aquele pobre homem na porta do quarto com a espada em sua mão? 

Ele tem vindo a insistir na porta por seis meses e ainda não lhe permitem entrar.


SUSPEITO

Um Companheiro Maçom se dirige ao Grão Mestre no dia seguinte do seu Aumento de Salário:

- Mui Respeitável Grão Mestre; vem a falar com você um assunto que sucedeu ontem e que não me ha deixado dormir. Um Irmão, Grão de Mestre, deixou entrever que a mim se me tinha como suspeito, e não aclararam de que diabos eu sou suspeito. Na minha vida não tenho roubado nada!! E sim da Loja se perdeu algo, a mim me fazem o favor de tirar-me do problema.

Eu poderei ser novo entre vocês e vocês, podem não me conhecer ainda bem, porem

Exijo respeito!!!.



O VELHO

Justo no momento de inicio dos trabalhos, um ancião disse ao 2º Vigilante: “Tenho vindo hoje a receber meu 2º grau”…

Bom. Todos olharam ao homem e pedem uma explicação.

“Fui iniciado em 4 de julho de 1922. Já estou pronto para meu 2º grau”.

Procuram nos registros da Loja e encontram seu nome. Realmente foi iniciado mesmo em 4 de Julho de 1922.

“E por onde hás estado todo este tempo”. “Que tens demorado tanto para receber teu 2º grau?”

E ele responde: “Tenho estado apreendendo a dominar minhas paixões!”



ESPIANDO A MAÇONARIA

Certo dia, joãozinho e zezinho resolveram ir ver o que ocorria numa reunião da maçonaria. Chegando lá joãozinho, mais esperto, subiu no muro e ficou olhando. só que um dos maçons o descobriu, agarrando-o e levando-o para dentro. Zezinho saiu correndo e ficou de longe esperando o amigo, que demorava à sair. Lá dentro, os integrantes deram uma dura nele. Passaram o maior medo no moleque, que era para ele aprender a não bisbilhotar... Joãozinho chorou, tremeu, viveu momentos terríveis.

Quando saiu, entretanto, viu que Zezinho estava esperando por ele e fez a maior cara de vitorioso.

- Vai, Joãozinho! Me conta! Me conta! O que eles fazem lá dentro? - Perguntou o Zezinho, excitado.

- Lamento, mas não posso contar nada... - respondeu o Joãozinho, com ar de superioridade .

Eu agora sou maçom!!!



CONFESSO QUE FIQUEI COM PENA DA CUNHADA - COITADINHA

Frank, recebe em casa a visita dos irmãos Miguel e Keirreson. A esposa de Frank auxilia na recepção e todos se cumprimentam e se beijam. Com a alegria de sempre, eles se sentam e antes de iniciarem as conversas, Frank pede à esposa:

- “Querida, por favor, peça à Maria que providencie aquele cafezinho três ´efes` – fraco, frio e fedido pra esses dois ´efes` – sorrindo, e antes de aparecer adjetivos maliciosos, completou: “faltantes e fraternos”. Todos riem muito.

Na verdade eles estavam pedindo “cobertura de sala”, temporária, à cunhada. Ela entende muito bem, pede licença e sai. Recomenda à empregada que prepare o café e volta afazer o que fazia antes na saleta anexa: costurar a alça do avental de Frank que havia arrebentado. Enquanto costura vai pensando: “Frank está engordando muito; precisa moderar nesses… Como é mesmo aquela palavra que eles falam? …a..ágape…isso…precisa diminuir esses ágapes semanais”. E a conversa na sala principal e tão alta que chega a ser impossível deixar de ouvi-la.

- “Ontem eu estive na Quinta Essência”, disse Miguel.

- “E ela é da Sereníssima?”, pergunta Keirreson.

- “Lógico, é a 349. Foi uma sessão pra lá de Jota e Pê. Não era Magna, todos estavam de balandrau, mas fizeram a entrada de Past Máster com a abóbada de aço e estrelas. O Veeme comandou uma bateria incessante. Depois esse Filho da Viúva apresentou uma senhora peça de arquitetura. Falou de um obreiro que seguiu para o Oriente Eterno, depois de trabalhar incessantemente nas Pedras Bruta e Polida e considerava o Livro da Lei a obra máxima na Terra”. 
Com a agulha e a linha, a cunhada vai unindo novamente a alça do avental, mas, por mais que se esforce, não consegue unir aquelas palavras a um sentido qualquer.

- “E eu estava, na semana passada, na Era de Aquários, lá em Ribeirão”, fala Keirreson. “Eu nunca vi tantas colunas gravadas na bolsa”! Eram pranchas e mais pranchas, muitas prévias, e um pedido de Quit-Placet; todos ficaram surpresos, principalmente as luzes; fiquei com pena do Secretário a medida que o Veeme ia decifrando, ele ia botando tudo aquilo no balaústre. Também fiquei bobo de ver a quantidade de metais no Tronco. “A única coisa que eu não gostei, foi quando eles formaram a cadeia para passar a semestral, eu tive de ficar no Átrio”.

A esposa continua a não entender bulhufas.

- “Mas é claro, se você não é do Quadro…”, argumenta Frank. “Nesse caso não importa quantos degraus você subiu na escada de Jacob. E, falando nisso…”, continua, “em junho participei de trabalhos de banquete, na Seguidores em Cruzeiro. Meti o meu ‘ne varietur' no livro e nem foi preciso ser trolhado. O betume estava delicioso e a pólvora vermelha estava divina. Fizemos bons fogos. Na bem da Ordem, ou melhor sobre o Ato, falei sobre alguns landmarks e depois agradeci”.

A cunhada já se considerando uma estrangeira, serve o café em silêncio e momentos seguintes os irmãos se despedem e se vão, após o tradicional “Que o Supremo Arquiteto os acompanhe”.

- Querido – pergunta a esposa – Por que vocês não conversam como pessoas normais?”

Frank beija-lhe a fronte e, sorrindo, responde:

- Porque você é uma linda goteira!

Comentários

Deixe um Comentário

Posts Recentes

10/Outubro/2019

Sessão Magna - Céu Aberto

11/Outubro/2019

QUEM FOI SALOMÃO ?

03/Outubro/2019

O que é Maçonaria

01/Outubro/2019

Símbolo Perdido

01/Outubro/2019

Salmo 133


Onde estamos ? clique no mapaFechar Mapa

Entre em Contato

Retornaremos !!!

Telefone

(11) 1111-1111

(11) 99999-9999 (WhattsApp)

Email

contato@pilaresantediluvianos.com.br

Localização

Rua Formosa do Oeste, 117, Res. Rancho Grande - Itaquaquecetuba - São Paulo